Só sei que nada sei, mas ainda insisto em digitar...

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Legítima Defesa?

"Como o Estado vai negar ao homem de bem o direito de proteger-se, e proteger sua família? E não é "ter uma arma dentro de casa, caso alguém a invada pra roubar..". Porra nenhuma. É andar armado mesmo, tal qual um Velho Oeste."



A Líbia tá um caos, a Costa do Marfim tá um caos. O mundo tá um caos, porra. E a minha vida, aos poucos, deixa de ser um caos (caos esse que eu mesmo havia criado). Embora muita gente esteja CAOSando (...) eu ainda sou um ser humano, você ainda é um ser humano. Muito embora muitas vezes ajamos como animais. Afinal, o ser humano É um animal. Racional. 

Dizem.

Uma das semelhanças entre os seres humanos e todos os animais é: simplesmente cagar. Os animais cagam. Racionais ou não. E para tornar esse momento tão animal e tão humano mais interessante, os ditos racionais adquiriram o hábito de se intelectualizar DURANTE a cagada, olha só que belezinha. Os mais "in" acessam o Facebook de suas respectivas privadas, outros mais "out" (como eu) ainda lêem o jornal ou Turma da Mônica. E lendo o jornal, vi que mais uma pessoa havia sido vítima de sequestro relâmpago na USP. Aí pensei: "Caralho..."

Aí me lembrei que todo dia quando eu acordo, a TV já está ligada na Record. E cara, no jornal da Record de manhã SÓ tem assassinato. Estupro. Ou estupro seguido de assassinato. E já me emputeço logo cedo só de ouvir esse tipo de coisa.

Certos dias (como hoje) estou mais ignorante que outros. Quem me conhece bem sabe que sou espírita. Estudo, e sou apaixonado pela Doutrina. Quem me conhece também, sabe que fui militar do Exército. E sim, armas são muito legais e o Exército é foda. Quem me conhece mais ainda, sabe que opero na área do Direito defendendo as pessoas. E a própria lei nos permite a Legítima Defesa. O Estado me permite chegar ao ponto de MATAR outro ser-humano, desde que exista ameaça real à minha vida ou de outrem, e se os meios ou os instrumentos utilizados forem proporcionais à agressão sofrida.

Sei que é um tema batido, mas pergunto: Será que é legítimo o homem de bem andar armado? Pois bem andava-se armado na Idade Média, e permitia-se isso, afinal, eram tempos medievais de barbárie, assassinatos e estupros. Mas, tipo...nossos tempos atuais também não são tempos de barbárie, assassinatos e estupros? A situação é parecida, tirando apenas o fato de não usarmos mais malha de ferro, armadura e espartilho. Aliás meninas, ignorem a dor e voltem ao usar espartilho. Por favor. Decote é pouco pra nós homens.

Já que a testosterona se manifestou, voltemos. Me digam: Como o Estado vai negar ao homem de bem o direito de proteger-se, e proteger sua família? E não é "ter uma arma dentro de casa, caso alguém a invada pra roubar..". Porra nenhuma. É andar armado mesmo, tal qual um Velho Oeste.

Aí me vejo aplaudindo um sujeito que, prestes ao ter a namorada estuprada, deu um tiro na cara do assaltante, pois após o estupro, seriam ambos assassinados. Aí vão me dizer: "Reagir é perigoso..."

Bom, pelo menos é legítimo TENTAR executar a legítima defesa. É a nossa vida em jogo, gente. E meu embate moral é o seguinte: Mesmo sendo espírita, sabendo que não devemos fazer mal aos outros, se eu atiraria numa pessoa que me aponta uma arma, ou aponta uma arma para um ente querido, amigo, ou qualquer inocente? Sim, atiraria. Dois tiros no coração e um na cabeça.

Não sou nenhum Jesus Cristo, longe de mim. Me vejo mais parecido com Simão Pedro, um dos Apóstolos. Pra quem não sabe, Pedro matou alguns soldados romanos, com sua espada, quando esses mesmo prendiam Jesus Cristo no Jardim de Getzemani logo após a traição de Judas. Cristo então lhe pediu que parasse, e Pedro consentiu. Mas Pedro agiu com sua própria Justiça, no meu ver legítima. Agiu na legítima defesa de seu Mestre, Mentor e Amigo! Pois bem sabia qual seria o destino do Cordeiro - a crucificação criminosa no Gólgota.

Que venham os arautos dos Direitos Humanos e digam que os assassinos e estupradores são assim pois são vítimas do sistema. Que não tiveram pai nem mãe. Me perdoem a falta de "humanidade", mas: fodam-se vocês que pregam essa filosofia de punheta. Não ter pai, nem mãe não significa, no meu ver, ter o direito de matar o pai ou a mãe de alguém. Ser pobre e fodido não é justificativa pra estuprar uma garota de classe-média-alta. 

Deus que me perdoe, mas atualmente, penso assim: Sim, a maior arma do homem é a caneta. E eu, Tayan, JAMAIS na minha vida levantaria uma faca, uma pistola, uma metralhadora ou um rifle à alguém em nome de qualquer ideologia. Acho que o ser humano não deve nunca apontar uma arma para o outro. Mas infelizmente, enquanto houver a notícia de que UM ser-humano ainda levanta a arma para inocentes, seja para assaltar aquele que trabalha honestamente, seja para estuprar ou para assassinar simplesmente, eu não irei abdicar do meu direito à defesa, pois amo estar vivo, e quero que aqueles que eu amo estejam vivos também até que Deus ou o Diabo os chame de volta. Vagabundo nenhum vai acelerar esse processo. E se levantar arma pra mim ou pra qualquer outro ao meu lado, eu vou colocar pra dormir. Ou morrer tentando. A paciência acabou.

Um comentário:

  1. Sou totalmente a favor do porte de arma no Brasil. Já que o Estado nos dias de hoje não consegue proteger a população decente, no mínimo deveria autorizar os cidadãos de se protegerem.
    Aos que dizem que a legalização do porte de arma vai fazer com que as pessoas usem-na de forma desnecessária na rua, pergunto, hoje uma pessoa estúpida já não usa arma de forma desnecessária mesmo não sendo legalizado o porte? É muito fácil arranjar uma arma hoje em dia. Quem nunca ouviu uma história de briga de bar acabar em assassinato ou coisa do tipo? Recentemente no RJ, dois estudantes da FGV foram atacados (um deles morreu) num bar por dois caras que chegaram de moto no local disparando, com a justificativa que os estudantes tinham ofendido eles em outra ocasião.
    Isso acontece porque o covarde sabe que é improvável que o outro também esteja armado, portanto age sem medo (e sem pensar).
    Acredito que com a legalização, tornando todos iguais ou pelo menos com a sensação que todos estão armados, as pessoas não reagiriam de forma grosseira, pois teriam medo.

    ResponderExcluir