Só sei que nada sei, mas ainda insisto em digitar...

domingo, 8 de maio de 2011

Só sei que a família é gay.

"Olavo de Carvalho nos diz que "gay é quem dá o cu e chupa piroca". Sim, basicamente sim. Assim como a mulher hétero dá o cu também, e o homem hétero chupa buceta. Aonde cada um enfia a pica ou molha a boca, isso pouco importa, meus prezados."



"Polígamos, incestuosos, alegrai-vos, eis aí uma excelente oportunidade para vocês."

Palavras que foram cagadas pela boca pelo tal de Hugo José Cysneiros, o "advogado" da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), em crítica à decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que reconheceu a união de duas pessoas do mesmo sexo como sendo, legalmente, uma família.

Para quem não sabe, a CNBB é, segundo a Wikipédia, um "organismo permanente que reúne os Bispos Católicos do Brasil que, conforme o Código de Direito Canônico, exercem conjuntamente certas funções pastorais em favor dos fiéis do seu território, a fim de promover o maior bem que a Igreja proporciona aos homens, principalmente em formas e modalidades de apostulado devidamente adaptadas às circunstâncias de tempo e lugar, de acordo com o direito."

É incrível ver como o próprio "advogado" (escrevo entre aspas, pois esse merda pode ser advogado inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil, mas moralmente, a meu ver, não é advogado de porra nenhuma) vai contra o próprio direito, que em um país, é representado pela sua Constituição, que é aquele documento que contém os princípios e regras fundamentais acerca do direito das pessoas e das coisas em um determinado Estado.

Nossa Constituição diz, por exemplo, em seu artigo 5º, "caput", que "todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza."

Usando o mínimo da lógica, se todos são iguais perante a lei, devemos entender que "todos" significa "sem exceções". Até onde eu sei homossexuais são pessoas, seres-humanos. E mesmo assim demoraram quase 25 anos para que eles tivessem seus direitos civis reconhecidos e garantidos por lei. 

Esse advogadozinho de merda ainda tem coragem de se dizer advogado. Sim, a opinião dele como advogado é uma merda, pois vai contra a própria Constituição Federal, que é a Carta Magna, ou seja, algo que os advogados devem defender e observar com unhas e dentes. Aliás, não só os advogados deveriam defender e observar a Constituição, mas sim todos os cidadãos brasileiros. Logo, além de um advogado de bosta, esse cara é também uma pessoa de bosta. Aliás, ser uma pessoa de bosta nem sempre é um pressuposto obrigatório para uma pessoa ser um profissional de bosta. Mas nesse caso, é sim.

Não só ele, mas qualquer pessoa que pensa algo assim, ou pior, que exterioriza esse tipo de opinião ridícula e medieval, é uma pessoa de bosta.

O absurdo é tanto, que ele compara um casal gay à "polígamos" ou "incestuosos". Ou seja, na brilhante concepção do nobre advogado, uma pessoa que sente atração por alguém do mesmo sexo sem culpa consciente nenhuma é equiparada à pessoas incapazes de serem monogâmicas, adúlteras e que necessariamente fazem sexo com seus familiares.

É digno do senhor tomar uma cuspida na sua cara, e parar de falar merda em público. Seu advogado nojento.

O pior não é isso, meus prezados: esse bosta representa uma bosta MUITO maior, a CNBB. E como vimos acima, a CNBB "promove o maior bem que a Igreja proporciona aos homens." Puta que o pariu!

Os "eleitos do Cristo", assim como seu advogado, também estão cagando pelo boca, através dele. 

Não é novidade que a Igreja Católica, há tempos, tá cagando e andando para seu "mestre", Jesus Cristo. Se o Cristo não fosse o "filho do Homem", o ser mais puro que já caminhou na face da Terra, com certeza ele mandaria essa bispada toda e a maioria dos ditos católicos tomar no meio do cu deles. E isso desde a época da Santa Inquisição. Santa putaria isso sim. E santas putarias ainda acontecem em meio à baixaria católica, como por exemplo essa posição preconceituosa do advogado que representa a CNBB.

Como vemos, os moldes sociais mudam. Antigamente, a mulher desquitada, divorciada, era considerada uma vagabunda. Gays eram considerados seres inferiores e depravados. O mais triste é que a Igreja que representa o Cristo tem essa opinião. A sociedade muda, assim como as religiões mudam. Se a religião não muda de acordo com a sociedade em questões naturais, deve-se pensar duas vezes então no que você anda acreditando. É fácil tirar a dúvida: Quando ouvirmos a Igreja falar isso ou aquilo, devemos nos interiorizar e nos perguntarmos - "O que Jesus Cristo diria acerca disso?"

É claro que nossa resposta nunca será tão cabível e perfeita como seria uma resposta de Jesus em pessoa, mas já é uma base forte para o início de qualquer raciocínio acerca de alguma resposta para uma eventual questão.

Olavo de Carvalho nos diz que "gay é quem dá o cu e chupa piroca". Sim, basicamente sim. Assim como a mulher hétero dá o cu também, e o homem hétero chupa buceta. Aonde cada um enfia a pica ou molha a boca, isso pouco importa, meus prezados. Isso ainda faz parte da nossa parte animal. O ato sexual é a liberação hormonal fisicamente falando. Moralmente falando, é demonstração de amor ou afeto recíproco. Ainda fazemos sexo, não importa se é no cu, na buceta, na boca ou uma bela espanhola do meio das tetas.

O que diferencia tudo, meus prezados, é a motivação do ato. Se o gay chupa uma piroca ou dá o cu como demonstração de afeto ou carinho, dá as mãos e diz "eu te amo", e de fato AMA, de alma, como qualquer casal dito "normal" ou "natural", não vejo motivos plausíveis para que não sejam considerados dignos e capazes de constituir uma família com bases morais tão dignas quanto uma família heterossexual. 

Agora, se você vir me dizer que gay é podre pelo que ele faz na cama, vou te dizer que você é tão podre quanto, se teu critério for troca de fluídos corporais e carícias estimulantes de qualquer natureza. E vou te mandar à puta que te pariu também, claro.

Boa noite à todos. 

Um comentário: