Só sei que nada sei, mas ainda insisto em digitar...

domingo, 10 de outubro de 2010

Só sei que amei, e amarei.

"O verdadeiro amor nem ser amado precisa, o verdadeiro amor apenas ama."

E quer saber? Só sei que amo.

Amo muitas pessoas, pessoas que me fazem muito bem, e até pessoas que já me fizeram muito mal.

Ouço muitas críticas, dúvidas e comentários sobre o amor. Chego à conclusão é que a maioria nada sabe mesmo sobre o tal do amor. E o pior é que essa grande parcela da população mundial, ignorante que é na sublime arte de amar, mal se dá ao trabalho de entendê-lo.


Quantos pseudo-sábios já não ouvi dizer que o amor é uma mentira? Que o amor é uma ilusão criada pela nossa psique? Que o amor é dor? Que amar é para os fracos? Que o amor é uma piada? E a pior: que o amor não existe?

Creio eu que muitas vezes você já tenha tido, assim como eu, a infelicidade de ouvir tão deprimentes comentários.

E digo deprimente com propriedade, pois deprimente é a criatura que não tem amor.

Para mim, o ser humano, em sua maioria, é mesquinho, egoísta, orgulhoso e ignorante demais para lidar com algo tão sublime e perfeito como o amor.

Todos culpam o amor, mas em verdade vos digo que o amor não é réu em absolutamente nenhum processo amoroso. Em processos que têm o amor como matéria, os réus somos sempre nós mesmos. Nem na figura de juiz o amor se encaixa, pois o juiz analisa critérios. O amor não. A figura do amor é muito mais a figura de um conciliador ou mediador.

O amor é algo que existe na sua totalidade em nosso espírito, expressando-se neste planeta através da nossa mente. Logo, o amor não se exterioriza no mundo por vontade própria, afinal ele é imaterial, metafísico. O amor precisa de um veículo de exteriorização, para se expressar no planeta. E esses veículos são conscientes (será?). Esse veículo somos nós, os seres humanos. E infelizmente esse veículo é deficiente, ainda viciado em uma série de erros que insiste em repetir.

Por isso existe ainda em nosso planeta todo esse tabu sobre o amor. Pois os veículos deficientes não conseguem compreendê-lo, quiçá vivê-lo.

Seguindo este raciocínio, culpar o amor (como muitos fazem) faz tanto sentido quanto culpar o oxigênio nos casos de incêndio, pois não existe fogo sem oxigênio.

O amor é a única coisa na vida que quanto mais você dá, mais você tem.


Ele não acontece apenas uma vez, ou sete, ou setenta, ou setenta mil vezes. Ele simplesmente acontece quando tem que acontecer, quantas vezes tiver de acontecer. E se ele não acontece pelo menos uma vez, seu veículo está com sérios problemas mecânicos. Precisa de ajustes éticos e morais urgentes!

Devemos aceitar que o amor é tão perfeito quanto a aritmética, mas não podendo esse primeiro ser quantificado ou sofrer qualquer operação ou cálculo matemático. O amor é tão perfeito quanto as mais belas poesias, mas não pode ser retratado com perfeição nem pelo mais exímio e inspirado escritor. É tão perfeito quanto as combinações entre os elementos presentes na Terra, e tão perfeito quanto todas as Leis da Física, mas não podendo ele ser dissecado sub-atomicamente, nem explicado pelo maior gênio das Ciências.

O grande segredo é que o amor é logicamente ilógico. Racionalmente irracional. Conscientemente inconsciente. Explicavelmente inexplicável. Divino e espiritual, ainda que humano. É intrínseco ao nosso ser, muito embora seja infinitamente livre.

Afinal, o verdadeiro amor não deve ser explicado, muito menos compreendido: O verdadeiro amor é simplesmente vivido.

O verdadeiro amor nem ser amado precisa, o verdadeiro amor apenas ama.

Ame seu amor.

Pois o amor salva, sem fazer ressalva.

Como VOCÊ tem lidado com o seu amor, hein?


Boa madrugada, bom feriado e boa semana à todos.

PS: Tirem o amor do banco dos réus, ele é inocente! E que a escolta policial o conduza de volta aos vossos corações.

PS2: O amor nunca está bêbado, cheirado ou maconhado. O verdadeiro amor é sóbrio. Ele é embriagante, psicoativo e anti-histamínico por si só, de uma forma saudável e benéfica para seu corpo e para sua alma.

5 comentários:

  1. Amei esse texto sobre o amor...Vc é demais!!!
    Peace and love!!!!

    ResponderExcluir
  2. Expressivo, transparente e verdadeiro... é assim que é meu amigo Tay! Adoro como vc escreve, imagino vc dizendo tudo isso com ainda mais persuasão quando falado pessoalmente.
    bjos!

    ResponderExcluir
  3. Uma vez uma sábia pessoa me disse que podemos amar quantas vezes quisermos ao longo da nossa vida, uma vez que o amor é meu, sou eu que tenho esse sentimento eu posso cedê-lo para qualquer pessoa. Eu posso dar o meu amor pra quem eu quiser, quantas vezes eu quiser, o problema de tudo isso é dar o amor pra quem merece, ou então pra tão esperada ELA. Quantas vezes não ouvimos ou até mesmo falamos "Eu acho que é ELA!", "Tem tudo pra ser ELA", "Eu amo ELA".
    O maior desafio é trocar o OUTRA por ELA...

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. ♪ Assim que o amor entrou no meio, o meio virou amor
    O fogo se derreteu, o gelo se incendiou
    E a brisa que era um tufão
    Depois que o mar derramou, depois que a casa caiu
    O vento da paz soprou ♪

    ResponderExcluir